13 de junho de 2010

Ironia, nem sempre.

Sentada no sofá, espero o tempo passar. Coloco um filme pra distrair e tudo o que ele me traz, é exatamente tudo o que eu deveria esquecer. Pelo menos naquele momento.

'Essa é a história da primeira e a última vez que me apaixonei.
Ela é linda, complicada. Fascinante homem que habita minha alma.
Eu tenho certeza que você vai me deixar amanhã, então vou dizer isso enquanto ainda dá tempo.
Se a gente estiver junto ou não, você sempre vai ser o homem da minha vida.
A única mulher que eu vou sempre invejar vai ser aquela que tem o seu coração.
Porque eu sempre acreditarei que é meu destino ser essa mulher.
Se a gente nunca mais se ver de novo, você estiver por aí andando e sentir uma certa presença ao seu lado, serei eu. Te amando, aonde quer que eu esteja.'

Com isso, me emocionei. Encantei e imaginei a perfeição das coisas se elas acontecessem. 

'Daqui um ano estaremos juntos, mas se eu não estiver, não é porque eu não amo você. Porque eu te amo, e não é porque eu não sinto sua falta, porque eu já sinto sua falta. 
Só significa que eu ainda não estou bem e que essa história ainda não acabou.'

Sim, minha fraqueza permanece presente. Enquanto a saudade insiste em bater em minha porta. 
Todos os pensamentos se unem e tornam-se unicamente sozinhos. Sozinhos, únicos.
Ecoam em minha mente, trazendo num flashback de emoções, fotos cerebrais.

'Primeiro, não a deixe beber,se beber, use a saída de emergência;
Prepare-se para ser preso;
Não espere muito a ajuda do pai dela;
Tudo o que você pensa que vai acontecer em seguida, você tá errado;
Se o sapato dela machucar, troque com ela;
Aprenda a dizer a seguinte frase varias e várias vezes: 'Isso é parte do charme';
No seu trigésimo terceiro dia com ela, leve uma única rosa vermelha e dê pra ela bem no meio da sala de aula;
Se ela falar que vai te matar, não ache que é uma metáfora;
Ela gosta de escrever, de força pra ela;
E finalmente, o tempo com ela será o mais feliz que você teve na sua vida. Aproveite cada segundo!'

Me identifico de uma forma exclusiva. A cada detalhe, uma força interior me invade e me diz: 'é com você, vá em frente'.

'- O destino se revelou. E procurar por ele, seria como tentar moldar e ajudar o destino
e isso não é uma boa ideia. 
- Vamos supor, que ajeitar e modelar o destino, seja na verdade o seu destino.
- Nunca pensei dessa maneira.
- Eu te digo o que é o destino se realmente quiser saber.
- O que significa?
- O destino é a ponte que você constrói até a pessoa amada.'

O destino. Intrigante, misterioso, farsante, confiável, presente e meu, só meu.
A ansiedade me presenteava com lembranças. E o final tão esperado, chegou.

'Foi assim que a nossa história acabou.
Ou ver por um outro lado, como ela começou.
E sobre essa questão do destino, tudo o que eu sei, é quando o destino quer mesmo cumprir alguma coisa.
Ele não pode fazer isso sozinho.'

Tudo o que acontece, acontece por algum motivo. Nada fica subentendido. 
Aguardar... Em instantes, te encontrarei. Aqui, dentro de mim. Nos meus sonhos.



Nathalia
convicta de que 'Ironias do Amor', não é apenas um filme.

12 comentários:

  1. naty! q lindo! Parabéns! de vdd... *__*

    ResponderExcluir
  2. Parabééns muito bem escrito, gostei bastante


    http://6boysblog.blogspot.com/2010/06/pergunte-pro-nandinho.html

    ResponderExcluir
  3. te amo... sua linda! Sou seu fã!

    ResponderExcluir
  4. Gostei do texto, muito bem estruturado. Confesso que nunca assisti o filme, já quero ver.

    Adorei o desfecho: "Tudo o que acontece, acontece por algum motivo. Nada fica subentendido." Concordo plenamente!

    Te espero no Autômato Algum! http://automatoalgum.blogspot.com

    Até Mais!!!

    ResponderExcluir
  5. Nunca ví o filme, e com um texto desse fica convidativo ver.
    "Acredito que pra tudo tem um proposito"
    ;) bjokas boa semana
    http://estigmaangel.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Um selo pra você: http://ultimaafolha.blogspot.com/2010/06/mais-um-selo-obrigada-ao-efeito.html

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Eu também assisti o filme, inclusive várias e várias vezes! E a cada vez que eu assistia mais lágrimas rolavam!

    Esse filme eu posso dizer, mexeu comigo. Ainda mais na parte em que eles leêm a carta, realmente muito lindo !

    ResponderExcluir

Obrigada pela opinião!