18 de novembro de 2010

A procura.

Sem rumo, buscando uma razão.
Relembrando das coisas boas e ruins que elaboraram minha formação.
Sem motivo, sem razão, caminho na escuridão.
Mudanças estão por vir e meu maior medo é cair... e se eu reagir?
Somando valores e tentações, não me privo das decisões.
O sol que bate em meu rosto, se encaminha para o seu pôr.
Amanhã quando amanhecer, não sentirei nenhum calor, só dor.
Uma estrada ou caminhada, tudo o que eu pretendo ser.
Incertezas e proezas, que farei de tudo pra você ver.
Acima de tudo, me olhar no espelho e ME RECONHECER.
Estou a minha procura, quem me encontrar, por favor, devolva-me.

Nathalia
sozinha no colégio.

4 comentários:

  1. vc é foda viu nathalia!

    ResponderExcluir
  2. Muito bom o texto. Você escreve muito bem :D

    ResponderExcluir
  3. posso devolver a satisfação por ter lido algo tão intelectual?

    ResponderExcluir

Obrigada pela opinião!